A questão da participação de esposo(a), filho(a) de proprietário em Assembleia é um tema que deixa muitos condôminos e também Síndicos na dúvida, pois a lei não é clara e não há mais de um posicionamento da jurisprudência a respeito.

Por interpretação do art. 1.334, §2º, do Código Civil, pode a convenção estabelecer se apenas o proprietário, ou se outras pessoas em seu nome poderão participar das Assembleias Gerais.

No caso do inquilino, só poderá participar se o proprietário não estiver presente e se o assunto discutido não se referir a despesas extraordinárias.
Entendo que a participação fica condicionada a apresentação de procuração, pois o simples fato de ser filho(a), ou esposo(a) não dá direito à pessoa de representar juridicamente outra pessoa.

Um abraço,
Mailza Santos